8 de março: Mulheres em defesa da Vida! – Movimentos Sociais | Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Movimentos Sociais Notícias

Data: 06.03.21

8 de março: Mulheres em defesa da Vida!

Nesse 8 de março, as ruas, os becos, as estradas de chão e de asfalto não vão sentir o impacto dos passos firmes das mulheres negras, camponesas, pescadoras, indígenas, trabalhadoras domésticas, moradoras das periferias das cidades e tantas outras que se mobilizam a cada ano para denunciar as injustiças e demonstrar a força política das mulheres.

O rebuliço do comércio não vai parar diante das batucadas, das músicas de luta, das palavras de (des)ordem e do clamor das mulheres por uma vida livre de violências e injustiças. A pandemia de Covid19, potencializada pelas históricas desigualdades de classe, raça e gênero e pelo projeto de morte do governo federal, já matou mais de 250 mil pessoas no Brasil e não permitirá a presença das mulheres nas ruas.

Porém, muito se engana quem acha que as mulheres estão inertes diante dos ataques diários aos seus direitos. Em todas as comunidades rurais e urbanas, em cada quilombo, cada aldeia, cada ocupação e cada quebrada, as mulheres estão mobilizadas para garantir o sustento coletivo e a dignidade para todas e todos. Em cada articulação em defesa da saúde, da renda básica e da vacinação, há um trabalho intenso de mulheres.

Em cada gesto de indignação e em cada proposta de política para enfrentar a violência doméstica e o feminicídio, o fundamentalismo religioso, o racismo e a violência policial, a LGBTfobia, o genocídio dos povos indígenas e da população negra e a violência política, as mulheres estão ali, organizadas em coletivos, redes, sindicatos, movimentos. Apesar do vazio nas ruas, se apurarmos nossos sentidos, podemos notar nos nossos corações, a vibração dessas milhões de mulheres em luta pela vida.

É bem verdade o que diz o Fórum de Mulheres de Pernambuco, nos lambes que espalham pela cidade: “com ou sem pandemia, as mulheres são linha de frente!”. E é por reconhecer isso que a CESE reafirma seu compromisso com a defesa de direitos e se soma às lutas das mulheres, trabalhando mais do que nunca para estar presente em cada canto desse país, juntando forças, aliviando dores e alimentando o sonho de “dias mulheres” que, sim, virão.