Ajuda emergencial chega a Maxacalis, indígenas que tinham benefícios sociais desviados em MG – Ecumenismo | Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Ecumenismo Notícias

Data: 01.09.20

Ajuda emergencial chega a Maxacalis, indígenas que tinham benefícios sociais desviados em MG

Na última semana de agosto, o Brasil está prestes a atingir a marca dos 120 mil mortos em decorrência do coronavírus. As populações mais empobrecidas e vulnerabilizadas, como os povos originários, vêm sentindo, cada vez mais, os impactos da crise sanitária e política. Em seu último levantamento (27-08), a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil registrou a morte de 737 indígenas e contaminação de 28.093 guerreiros e guerreiras de 156 povos.

No Estado de Minas Gerais, especificamente na região de Teófilo Otoni, a preocupação dos indígenas com sua sobrevivência não é diferente. Assim, como seus parentes de outras regiões, os Maxacali têm sofrido os efeitos múltiplos da pandemia, associados às diversas e crescentes violações de direitos contra esses povos.

Esta etnia, em especial, é alvo há anos de ações criminosas e racistas. No início de agosto, foi desarticulada uma quadrilha de comerciantes e políticos da região, acusada de desviar o dinheiro de benefícios sociais destinados a indígenas. Há cerca de oito anos, os Maxacali têm tido seus cartões retidos pelos comércios locais ou obrigados a comprarem produtos a preços exorbitantes – e, caso se recusassem, eram ameaçados de agressão física.

Diante dessa complexidade de violações, a Cáritas Diocesana de Teófilo Otoni articulou uma ação para tentar reduzir os efeitos da pandemia na realidade desses povos. Com apoio da CESE, a organização doou 341 cestas básicas nos meses de abril a junho, beneficiando mais de 1.300 Maxacalis que residem na região do Vale do Mucuri.

Para Deliene Fracete Gutierrez, presidente da Cáritas de Teófilo Otoni, a iniciativa, que contou com o apoio da Pastoral Indigenista, foi fundamental nesse momento de isolamento social e de cortes de benefícios. Ela destaca que o povo Maxacalis é a população indígena mais numerosa da região e também a que mais precisa de ajuda: “as famílias indígenas são muito carentes e estão passando por necessidades”.

A ação realizada pela Cáritas Diocesana de Teófilo Otoni integra a Campanha É Tempo de Cuidar, organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira. Conheça: http://caritas.org.br/noticias/cnbb-e-caritas-brasileira-lancam-acao-solidaria-emergencial-da-igreja-no-brasil?fbclid=IwAR1sMKYEJ15c2QVnRA7TPVZvaIMTzgOZwL1sBFl_5qYT-eEeJtPGaa1QIDQ

A iniciativa busca estimular a solidariedade por meio de gestos concretos, como a arrecadação de alimentos, produtos de higiene e limpeza. Além de levar ajuda material às pessoas, a Campanha também busca promover o cuidado no campo religioso, humano e emocional.

(Com informações da Caritas de Teófilo Otoni)