CESE traz para Salvador instalação Nem tão Doce Lar, de autoria da Fundação Luterana de Diaconia – Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Notícias

Data: 06.03.15

CESE traz para Salvador instalação Nem tão Doce Lar, de autoria da Fundação Luterana de Diaconia

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher (8 de março), a CESE apresenta em suas dependências  a instalação “Nem tão Doce Lar”, mostra itinerante que possibilita a popularização da discussão e do enfrentamento à violência, ao montar uma típica casa familiar, com utensílios domésticos, móveis e informações que indicam o contexto das agressões sofridas por mulheres, crianças, jovens e idosos. O intuito da exposição é revelar como um espaço onde deveria existir amor e cuidado pode esconder dor e sofrimento.

A exibição é uma parceria da CESE com a Fundação Luterana de Diaconia (FLD), organização que recebeu pela primeira vez no Brasil, em 2006, a exposição (idealizada e criada pela antropóloga alemã Una Hombrecher, com o apoio da agência Pão para o Mundo).

“Considero [a instalação] uma excelente ferramenta para chamar a atenção e fazer a denúncia sobre a violência doméstica, um problema tão grave no Brasil.  Sabemos que é dentro de casa que muitas situações de violência ocorrem. Caminhar por entre os diversos espaços, perceber os sinais de violência, ler os cartazes, refletir, se indignar e se engajar na luta pela superação dessas agressões é o que se espera de quem visita a exposição”, ressalta Sônia Mota, diretora-executiva da CESE.

Alguns avanços como a Lei Maria da Penha contribuíram para a redução da violência contra as mulheres, no entanto, dados do DataSenado (2013) indicam que 700 mil mulheres ainda sofrem agressões no Brasil anualmente.

“Para a CESE as dimensões de gênero e raça estruturam as desigualdades no Brasil e como é uma entidade que defende a democracia com justiça social, a gente acredita que só a partir do enfrentamento às desigualdades entre mulheres e homens, entre a população branca e negra, é que a gente vai conseguir alcançar esse ideal democrático”, destaca a assessora de projetos e formação da CESE, Viviane Hermida.

A diretora executiva da CESE ressalta ainda a trajetória de parceria da organização nas lutas dos movimentos de mulheres  por meio do apoio a projetos de organizações populares. “São iniciativas que nos chegam todos os dias de todas as regiões do Brasil, vindas de camponesas, moradoras das periferias das grandes cidades, trabalhadoras domésticas, marisqueiras, entre tantos outros movimentos, que têm como objetivo fortalecer a autonomia das mulheres e fazer com que governos e sociedade encarem a violência contra a mulher como uma grave violação de direitos humanos e priorizem o seu enfrentamento. Ao realizar esta exposição na sua sede, a CESE mais uma vez reafirma o seu compromisso com essas lutas”, reforça Sônia Mota.

A exposição é aberta ao público e permanece na CESE (Rua da Graça, 164, Salvador-BA) durante todo o mês de março. O horário de funcionamento é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Esperamos que as pessoas venham e prestigiem!