CESE realiza live especial de aniversário de 20 anos da Primavera Para a Vida – Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Notícias

Data: 28.09.20

CESE realiza live especial de aniversário de 20 anos da Primavera Para a Vida

A Campanha Primavera para a Vida chega ao marco de 20 anos de jornada em prol dos direitos humanos, justiça, paz, diálogo ecumênico e inter-religioso. Neste ano, a celebração com nossa tradicional feijoada solidária irá migrar para o espaço virtual, em decorrência da pandemia do coronavírus. A Campanha será lançada em live especial, dentro da série “Diálogos Ecumênicos e Inter-religiosos”, no próximo dia 30 de setembro no canal institucional do Youtube.

Tendo em vista a multiplicidade e aprofundamento de desigualdades ocasionadas pelo coronavírus, a iniciativa aborda nesta edição o tema “As fomes do povo e as partilhas do reino de Deus em tempos de pandemia – ‘Porque tive fome, e me destes de comer’ (Mt 25.35a)”. A proposta é abordar a fome sob diversos olhares e perspectivas: fome de comida saudável, fome de justiça, igualdade racial e de gênero, de democracia, de direitos; fome de espiritualidade e de uma mística capaz de trazer coragem, força, paz e resiliência nesses tempos.

“Embora a pandemia do coronavírus alcance todas as pessoas, ela impacta de forma diferente  principalmente as comunidades mais vulneráveis tanto do campo como da cidade escancarando as diversas ‘fomes’ que impedem uma  vida digna. O tema desta edição da Campanha não poderia deixar de jogar luz sobre essa realidade denunciando a situação de vulnerabilidade em que vivem  milhares de pessoas em nosso país, mas também, aproveitar para  aglutinar forças junto às igrejas, expressões de fé e movimentos sociais nesta semeadura  em prol do bem viver ”, afirma, com esperança profética, a diretora-executiva da CESE.

São convidadas para a roda de diálogo:

 

 

Mãe Nilce de Iansã – Iyá Egbé do Ilê Omolù e Oxum

Coordenadora da Rede Nacional de Religiões Afro Brasileiras e Saúde e conselheira do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (RJ)

 

 

 

 

 

Juliana Santos – MSTB
Educadora popular e militante do Movimento Sem Teto da Bahia. Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal da Bahia

 

 

 

 

 

 

Gilvânia Ferreira da Silva – MST

Pedagoga, educadora popular, militante do Movimento Sem Terra /Maranhão

 

 

 

 

 

 

 

Nancy Cardoso
Pastora metodista, teóloga feminista, filósofa e assessora de formação da Comissão Pastoral da Terra (CPT)

 

 

 

 

 

 

Também irão trazer contribuições valorosas para o bate-papo: Samara Pataxó (advogada e assessora jurídica da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil); Marizélia Lopes (Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais do Brasil); e Joice Santana (educadora social e poetisa, integrante da Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3).

AGENDA 

LIVE: Lançamento da Campanha Primavera para a Vida / Tema “As fomes do povo e as partilhas do reino de Deus em tempos de pandemia”

QUANDO: 30 de setembro (quarta-feira, das 17h às 19h)

ONDE: www.youtube.com/cesedireitos

  

Histórico da Campanha

Realizada desde o ano 2000, a Campanha Primavera para a Vida tem o objetivo   ampliar a articulação com as bases das Igrejas através disponibilizando estudos bíblicos inspirados em demandas sociais  vivenciadas pela organização através da sua Diaconia  pela defesa de direitos.  A cada ano é escolhido um tema e são oferecidos subsídios bíblicos e teológicos para que as igrejas trabalhem nas suas reuniões, encontros, catequeses , estudos bíblicos e escolas dominicais. Os temas abordados expressam o nosso compromisso de estimular e contribuir com as igrejas em suas reflexões e posicionamentos na afirmação de uma Diaconia Ecumênica de de Direitos e da Casa Comum como espaço de pluralidade e diversidade onde todos e todas tenham direito à vida digna.

A Campanha busca associar a temática da justiça, paz e integridade da criação a outros temas de interesse da sociedade. Em sua primeira edição, trabalhou o tema “Vamos todos juntos semear justiça”. Na edição de 2002, refletiu sobre a necessidade de “Semear solidariedade e paz”. Em 2003, voltou-se para uma das carências que mais aflige o país e clamou por “Pão e paz”. Em 2004, buscou animar a juventude brasileira a se engajar na construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva, com o tema “Juventude e paz”. E em 2005, exortou a sociedade a sonhar com uma “Cidade de paz”.

Os anos seguintes abraçaram as seguintes reflexões: “Mulheres e homens construindo cidades de paz” (2006); “Direitos e justiça para a paz” (2007); “Direitos e justiça: uma ação para crianças” (2008); “Direitos e justiça” (2009); “Justiça ambiental” (2010); “Direitos e justiça ambiental: cuidar de nossa casa comum” (2011); Justiça ambiental na perspectiva de direitos (2012); “Direitos humanos, desenvolvimento e justiça” (2013); O bem que você faz muita gente compartilha” (2014); “Eu respeito a diversidade religiosa e você?” (2015); “Direito à vida da juventude” (2016); “O clamor dos povos e da terra ferida: mineração aqui não!” (2017); Bem-aventuradas as vidas que defendem os direitos, a justiça e a paz” (2018); “Águas da resistência – ‘… porque tive sede e me deste de beber´ (Mt. 25,35b)” (2019).