Nota: Conselho Ecumênico Baiano de Igrejas Cristãs (CEBIC) contra o Racismo Religioso – Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Notícias

Data: 25.10.19

Nota: Conselho Ecumênico Baiano de Igrejas Cristãs (CEBIC) contra o Racismo Religioso

Nós, Igrejas membros do Conselho Ecumênico Baiano de Igrejas Cristãs (CEBIC), temos a alegria de nos reconhecermos como participantes do Corpo de Cristo em terras baianas e, em específico, soteropolitanas. Sendo, pois, agraciados(as) em poder viver em tão bela terra, de um povo lutador, belo e acolhedor, nos sentimos indignados(as) com mais um ato de racismo religioso dirigido a nossas irmãs e irmãos baianos de religião de matriz africana.

O crime de racismo foi cometido pela assim intitulada “organização cristã OM Ships International”, que é a responsável pelo empreendimento comercial do navio “Logos Hope”, que, segundo foi noticiado, teria pedido orações antes de aportar em nossa Baía de Todos os Santos, pois esta seria uma cidade “conhecida pela crença do povo em espíritos e demônios”. Covardemente, certamente por temerem as repercussões financeiras e outras, o grupo retirou sua postagem, mas o crime já tinha sido flagrado e estampado em diversos meios de comunicação.
Nós do CEBIC reiteramos nosso repúdio a esse crime de racismo religioso e, mesmo não tendo ligações com a mencionada organização, humildemente pedimos desculpas a todas e todos os baianos(as), a todas e todos os religiosos(as) de matriz africana por mais esta agressão. Afirmamos isto ao reconhecer que, no passado, o cristianismo, ao qual pertencemos, também foi promotor de injúrias e ofensas contra pessoas e espaços religiosos de Candomblé, Umbanda etc. Nossos antepassados já traziam essa estranha acusação de que essas religiões seriam “do Diabo” e de que as pessoas que a praticassem estariam “possuídas de demônios”. As igrejas filiadas ao CEBIC têm forte compromisso com a promoção da Diversidade Religiosa, com a denúncia e combate ao racismo, bem como com a busca por reparação, mas reconhecemos que ainda há muitas igrejas que fazem uso indevido do santo nome do Cristo para camuflar seu racismo que repudiamos. Entendemos que estas igrejas cometem blasfêmia, pois Jesus de Nazaré anunciou que a forma verdadeira de se amar a Deus é amar ao próximo como a si mesmo.

Por fim, serve como triste metáfora do presente-passado: mais uma vez os “demônios” chegam a essas terras de navio. Há quinhentos anos, os “demônios” vieram de Portugal “para roubar, matar e destruir” os povos desta terra. Mais uma vez, as estruturas do sectarismo e do ódio – que certamente não vêm de Deus, nem do céu – se aproximam de nosso porto. Nós, moradores(as) da Cidade do Salvador, não iremos juntar-nos a quem espalha ódio, dor e morte. Ficamos, entre nós, celebrando as belezas de ser e viver nesta terra.

Salvador, 26 de outubro de 2019

Assinam pelo CEBIC:

Igreja Batista Nazareth;
Igreja Presbiteriana Unida;
Igreja Evangélica de Confissão Luterana;
Comunidade de Jesus;
Igreja Católica Apostólica Romana;
Igreja da Trindade;
Coordenadoria Ecumênica de Serviço;
Centro de Estudos Bíblicos;
Comunidade Cristã Inclusiva do Salvador;
Igreja Episcopal Anglicana do Brasil;
Igreja Presbiteriana Independente de Fazenda Grande, Salvador- BA;
Igreja Ortodoxa Bielorrússia Eslava no Estrangeiro.

Apóiam a Nota:

Rede FALE;
Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito – Núcleo Salvador;
Educafro SP;
Comunidade Batista de São Gonçalo RJ;
Movimento Negro Evangélico Brasil;
FEACT Brasil;
Paz e Esperança Brasil.

Nota para impressão: CEBIC Denúncia de Racismo Logos Hope 26 10 19 (1)