Nota de Apoio aos Indígenas dos Territórios de Comexatibá e Barra Velha – Bahia – Ecumenismo | Movimentos Sociais | Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Ecumenismo Movimentos Sociais Notícias

Data: 19.09.22

Nota de Apoio aos Indígenas dos Territórios de Comexatibá e Barra Velha – Bahia

Não se envolva em falsas acusações nem condene à morte o inocente e o justo,

porque não absolverei o culpado. Êxodo 23:7

 

À Sociedade Brasileira e ao Povo Baiano.

 

Nós, Igrejas e Organizações Baseadas na Fé, viemos por meio desta nota pública, demostrar apoio e denunciar o agravamento dos processos de violências sofridos pelos povos Indígenas dos Territórios de Comexatibá e Barra Velha no extremo sul da Bahia-Brasil.

De acordo com lideranças do territórios Indígenas atingidos, por meio de uma carta aberta veiculada no dia 08/09/22 no site da APIB e através das redes sociais, há mais de três meses os indígenas vem sendo aterrorizados com ameaças, coações tocaias, tiroteios perpetrados por homens encapuzados e fortemente armado com gás lacrimogêneo, fuzis, escopetas calibre 12 e rifles 38 que tem tirado a paz das comunidades e assassinando adolescentes.

Afirmam que drones têm sobrevoado as moradias constantemente e as notícias falsas são utilizadas como forma de desarticular as lideranças e apoiadores históricos dos povos Indígenas, por meio da difamação e calúnia.

A carta traz o relato que se descobriu na fazenda São Jorge vizinha e limitante com o Pequi Velho (fazenda Santa Bárbara/Santa Rita) pertencentes ao território indígena Comexatibá, um depósito de armas e munição que servia de alojamento para os pistoleiros e milicianos. E ressaltam que os ataques e violências são metodicamente planejados contra os povos indígenas do Brasil e da Bahia especialmente nesta região são feitos com a anuência da FUNAI e a omissão dos órgãos de segurança pública. E denunciam que essas ações violentas contam com a participação de militares que prestam serviços extras aos fazendeiros em conflito.

Diante deste relato, nos colocamos em oração e em apoio aos povos indígenas e com eles nos somamos em seus pedidos por:

Ação imediata das autoridades, diante da iminência de mais um massacre contra o povo Pataxó;

A suspensão da circulação da suposta matéria caluniosa;

A identificação dos assassinos do adolescente de 14 anos e devido enquadramento nas leis;

A desintrusão do território e retirada das milícias e pistoleiros contratados para espalhar a morte e o terror no território;

E imediata demarcação dos Territórios Indígenas de Barra Velha e Comexatibá.

Na certeza de que Deus não encontra prazer na injustiça nem se alegra com a perversidade, levantamos nossas vozes como um gesto profético que se soma aos povos Indígenas em sua denúncia das violências sofridas e no anúncio de que estaremos juntos e juntas na construção de uma nova sociedade livre da ganância, do ódio, do preconceito e da violência estrutural, para celebrar a vida e a beleza  de nossa diversidade.

 

Assinam esta Nota:

Conselho Ecumênico Baiano de Igrejas Cristãs – CEBIC

Cooordenadoria Ecumênica de Serviço – CESE

Centro de Estudos Bíblicos – CEBI

Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito – Núcleo Bahia

Fórum Ecumênico ACT Brasil – FEACT

Conselho Nacional de Igrejas Cristãs – CONIC

Koinonia – Presença Ecumênica

Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – Arcediagado Sul DAR/IEAB

Igreja Presbiteriana Unida do Brasil

Igreja Batista Nazareth

Comunidade da Trindade

Comunidade de Jesus

Aliança de Batistas do Brasil