Notícias

Data: 17.10.14

Evento acontece de 28 a 31 em Salvador (BA) com transmissão online

A capital baiana receberá agentes de todo o Brasil para o Seminário Nacional Mulher e Cultura, no qual debaterão as ações e os espaços de visibilidade das mulheres em alguns segmentos da cultura de 28 a 31 de outubro.

Realizado pela Fundação Pedro Calmon/Secretaria de Cultura – Bahia, com parceria do Ministério da Cultura (Minc) e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), por meio do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM), o seminário será um espaço de convivência e troca de experiências acadêmicas, artísticas e culturais, a partir da interação entre diferentes agentes femininos de cultura do Brasil, tendo como finalidade o fortalecimento de uma rede de articulação em todo país. É voltado para mulheres que apresentem atuação na temática cultural e perspectivas enquanto multiplicadoras, que tenham militância no segmento ou desenvolvam pesquisas sobre o tema central do evento e os transversais.

O evento trará mesas de debate, apresentações culturais e rodas de diálogo, que terão como temas: “Mulher: Tradição e Contemporaneidade”, “Mulheres da Cultura”, “Mulher, Cultura e Comunicação”, “Mulheres e Conhecimentos Tradicionais” e “Cultura e Contemporaneidade”.

A CESE apoia o seminário, que trará grupos apoiados pela organização para compartilhamento de reflexões e lutas. A Cooperativa de Coleta Seletiva Processamento de Plástico e Proteção Ambiental (CAMAPET) será representada por Michele, jovem artista, moradora do bairro do Lobato, subúrbio ferroviário de Salvador. Michele ingressou na iniciativa em 2007, fazendo parte de triagem dos resíduos e administração do empreendimento. Hoje atua nas unidades biju, onde são confeccionadas bijuterias com garrafas pets e alumínio e objetos de decoração como: puffs, cadeiras, cortinas e painéis. Personificando a Associação Nacional das Baianas de Acarajé (ABAM), a presidente Rita Santos (Makota de Mutalambo) é baiana de acarajé, com atuação reconhecida na defesa do patrimônio cultural de natureza imaterial, e membro do Colegiado de Patrimônio Cultural do Conselho Nacional de Cultura.

Outras participantes do evento também já participaram de projetos em que a CESE investiu. Liderança quilombola nacional e uma das fundadoras da Coordenação Nacional das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ), Joseli Brandão é uma das presenças confirmadas, assim como Ana Chã (trabalhadora rural que compõe o Coletivo Nacional de Cultura do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e integrante da Brigada de AudioVisual do Movimento). Também integrarão mesas de diálogo Emanuelle Góes, coordenadora do Programa de Saúde do Odara – Instituto da Mulher Negra; e Nilza Iraci, presidenta e coordenadora de comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra e coordenadora da Articulação de ONGs de Mulheres Negras Brasileiras.

Transmissão online
Para contemplar todo Brasil, bem como municípios do interior do estado da Bahia, para a seleção das participantes foram utilizados os critérios: representação de todas as regiões, os segmentos culturais e a atuação e pesquisas na temática central e/ou transversal do evento – mulher e cultura.

Para ampliar ainda mais a participação de pessoas interessadas na temática, o seminário será transmitido online pelo site da Fundação Pedro Calmon (www.fpc.ba.gov.br) e no local (3º andar da Biblioteca Pública do Estado – Barris). A presença nas salas de transmissão estará sujeita à lotação dos espaços.

Toda a programação do Seminário Nacional Mulher e Cultura (SNMC) pode ser consultada no endereço www.fpc.ba.gov.br e na página da Fundação no Facebok (https://www.facebook.com/fpedrocalmon).

(Com informações da Fundação Pedro Calmon)