Notícias

Data: 11.09.18

11 de Setembro – Dia Nacional do Cerrado

O Cerrado, suas águas e toda sua diversidade biológica, cultural, étnica e econômica estão ameaçados pelo avanço indiscriminado do capital financeiro internacional e da fronteira agrícola para a produção, em especial, o cultivo de eucalipto, soja e pecuária bovina. Confira entrevista com Isolete Wichinieski, Coordenadora nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e uma das articuladoras da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado sobre o Cerrado e seus povos.

Sem cerrado, sem Rio São Francisco

O Cerrado constitui o maior berço de águas totalmente brasileiro, pois nele se encontram três grandes aquíferos (Guarani, Bambuí e Urucuia). O bioma é responsável pela formação e alimentação de grandes rios do continente, entre eles o Rio São Francisco.

Foto: Peter Caton/ISPN

O bioma, suas águas e toda sua diversidade biológica, cultural, étnica e econômica estão ameaçados pelo avanço indiscriminado do capital financeiro internacional e da fronteira agrícola para a produção, em especial, o cultivo de eucalipto, soja e pecuária bovina.

Um dos desafios, e pontos de partida, da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado é conscientizar a sociedade sobre a importância do bioma. Para conhecer melhor a história da campanha e a ligação que há entre a preservação do Cerrado e a vida do São Francisco, conversamos com Isolete Wichinieski, Coordenadora nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e uma das articuladoras da campanha.

bovina.

Um dos desafios, e pontos de partida, da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado é conscientizar a sociedade sobre a importância do bioma. Para conhecer melhor a história da campanha e a ligação que há entre a preservação do Cerrado e a vida do São Francisco, conversamos com Isolete Wichinieski, Coordenadora nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e uma das articuladoras da campanha.

“Tirar o Cerrado da invisibilidade, mostrar sua importância, o que ele é, a sua biodiversidade, a importância da água, e o quanto que esse bem é importante para o ser humano, e o quanto as comunidades tradicionais do território são importantes na defesa desse bioma é fundamental para evitar sua devastação.”

Qual a importância da vida do Cerrado para a vida do São Francisco?

97% das águas que alimentam a Bacia do São Francisco nascem do Cerrado. Vários rios que alimentam o São Francisco nascem no Cerrado.

Existem várias comunidades que têm sua identidade específica ligada ao Cerrado que são dependentes das águas do São Francisco, como as comunidades ribeirinhas da região da Bahia, as comunidade Fundo de Pasto e Quilombolas dessa região, os Vazanteiros que estão às margens do São Francisco na região do norte de Minas.

O São Francisco nasce da Serra da Canastra, que é uma região do Cerrado.

O aquífero principal, que é o fornecedor de água para essa região, o Urucu, é do Cerrado.

A ligação do Cerrado, sua biodiversidade, dos povos tradicionais com essa identidade do São Francisco tem tudo a ver com o Cerrado a com a luta em sua defesa.

É fundamental ver essa luta pelo Cerrado intimamente ligada à preservação do São Francisco.

Qual a importância da memória audiovisual na defesa do Cerrado?

O Cerrado é um espaço muito diverso. Se a gente olha o Cerrado como bioma, nós pegamos nove estados brasileiros, além de se ter resquícios de Cerrado no Amapá e em Roraima. Então mostrar a vida e a diversidade deste bioma através das imagens é fundamental pra gente conseguir mobilizar a população em torno da defesa desse bioma.

A imagem mostra muito, e você poder dar voz a essas comunidades que estão ali invisíveis é enorme… Acho que foi isso que ajudou muito nesse processo da gente olhar o Cerrado hoje. Não só mostrar para a sociedade o Cerrado, que hoje já é considerado pauta nacional, como para nós mesmos olharmos o Cerrado a partir daí. Então dar voz a esse povo, que tem uma identidade, que tem uma força, que tem uma resistência é mostrar a resistência que tem o Cerrado. Mostrar tudo que ele significa, a dimensão diferente que ele tem em relação aos outros biomas.

A gente diz que o Cerrado é uma floresta invertida, a gente vê aquelas arvorezinhas tortas, mas ela tem suas raízes muito profundas, isso ajuda a água a penetrar mais facilmente no solo. Então são essas especificidades e riquezas que o Cerrado tem, e que grande parte das pessoas não conhece.

Dar voz às comunidades, como também dar voz à biodiversidade, à água, e a importância de sua preservação é uma função fundamental que a memória e o registro audiovisual contribuem.

Os ruralistas estão pedindo a revogação do Decreto nº 6.040/2007 que institui a PNPCT e a suspensão dos processos demarcatórios. Quais seriam os impactos disso no Cerrado e na bacia do São Francisco?

É muito complicado para as comunidades tradicionais e povos originários que estão nesse processo de titulação de seus territórios, assim como seus processos estaduais de regularização e criação de reservas extrativistas.

Isso prejudica imensamente a questão do Cerrado, porque o processo está principalmente baseado nas questões específicas da região norte de Minas, que já é uma região de muitos conflitos, que provavelmente tenderão a aumentar por causa disso.

Foto: Peter Caton/ISPN

Outra questão também é que são essas comunidades que protegem o bioma Cerrado, e o próprio Rio São Francisco. Elas tem seu modo de vida adaptado a essa região e dependem do Rio para isso. Se esses processos continuarem da maneira como estão, cada vez mais essas comunidades serão afetadas. Comunidades responsáveis por manter esse patrimônio não só ambiental ou ecológico, mas que também representam e protegem todo um processo histórico da região, de sua ocupação, da organização dessas comunidades, de fortalecimento de seus modos de vida, de como elas utilizam o Rio pro seu cotidiano.

Então tudo isso afeta imensamente esse processo que já está complicado no Rio São Francisco, e na própria dimensão do Cerrado que é o guarda-chuva das águas do nosso Brasil.

Para saber mais sobre a campanha acesse o site: http://semcerrado.org.br

  • Descubra a nossa coleção O CERRADO RESISTE.
  • Fonte https://medium.com/@beirasdagua/sem-cerrado-sem-%C3%A1gua-sem-rio-s%C3%A3o-francisco-22c3216d6cf6