Agência internacional cobra ação do STF e se solidariza a grevistas de fome – Ecumenismo | Notícias | Cese | Coordenadoria Ecumênica de Serviço

Ecumenismo Notícias

Data: 27.08.18

Agência internacional cobra ação do STF e se solidariza a grevistas de fome

 “O corpo não é composto de um só membro, mas de muitos… Os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis… Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele.” (cf. 1 Cor 12,1-31)

 

Apelo urgente ao Supremo Tribunal Federal do Brasil

É com intensa solidariedade com as sete pessoas em greve de fome que mandamos a nossa carta. A greve de fome dos sete ativistas pela Democracia, as nossas queridas irmãs Rafaela Alves e Zonália Santos, os nossos estimados irmãos Jaime Amorim, Vilmar Pacífico, Luiz Gonzaga Silva e Leonardo Soares, e o nosso prezado Frei Sergio Görgen, nos toca, comove e move.

No nível internacional circulam diariamente mensagens que nos mostram a situação precária na qual o país está. Os/as grevistas estão dando um rosto ainda mais concreto a este cenário chocante do Brasil onde a Ação Misereor já atua há quase seis décadas apoiando as justas causas dos grupos marginalizados como os povos indígenas, as comunidades tradicionais, as populações nas periferias urbanas e muitos outros grupos, Temos um conhecimento amplo e profundo da conjuntura atual.

Apoiamos as demandas que os/as grevistas fazem ao Governo Brasileiro e ao STF como também assinamos as Notas Públicas e os apelos da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil junto com tantas organizações e movimentos parceiros.

Queremos apontar o Mapa da Violência que fala de mais de 63.880 pessoas assassinadas durante o ano passado e os números sobem cada dia mais. Diariamente mais de 175 pessoas são assassinadas, sendo que entre elas o grupo de negros jovens e de mulheres se destaca. O Relatório Periódico Universal (RPU) 2017 confirmou que o Brasil é um país onde os direitos humanos estão sendo desrespeitados.

É dever e responsabilidade do Governo Brasileiro e de suas instâncias, como o Supremo Tribunal Federal, ouvir a voz das pessoas que arriscam a própria vida pela Justiça.

Apelamos à consciência dos responsáveis pela Justiça da qual brota paz que atendam às demandas claras e concretas dos/das grevistas com os quais, mais uma vez, nos solidarizamos. A elas/eles e às suas famílias e amigos/as nosso profundo agradecimento por esse sacrifício e pelo compromisso com a justiça.

Ao Supremo Tribunal Federal nosso urgente apelo para que atenda a justa reivindicação dos/as grevistas em favor da justiça e da Paz.

 

Malte Reshöft

Chefe do Dept. América Latina

 

Aachen, 24.08.2018